Páginas

24.4.16

muddy paws II.

Em seguimento do post anterior que preferi deixar só com fotografias por já se tornar extenso. Nestes últimos dias em que finalmente se vislumbrou o sol, ocupei a cabeça (e o corpo) com um pedaço do quintal cá de casa que estava bastante negligenciado. Em tempos, também naquele local, tive uma fila de girassóis que me animavam bastante (até porque não precisavam de muitos cuidados para se manterem), mas com o tempo fui acumulando imensas sementes dos mesmos e acabei por deixar de os querer. No dia em que cheguei a casa do funeral da minha avó, recebi os resultados das análises que tinha feito uns dias antes. Com valores absolutamente alarmantes e após perder alguém que amava e que se preocupava sempre tanto com a minha saúde, tomei uma decisão drástica, mas impreterível: ter um regime alimentar mais saudável. Não estou com dietas, não estou com restrições loucas, simplesmente vou apostar mais nos legumes, nas frutas, peixe, carnes brancas, cortar com os açúcares onde eles não são precisos, cortar com gorduras, fritos, etc. Ainda em Coimbra, eu e os meus pais fomos ao Leroy e enquanto o meu pai andava a ver as coisas dele, eu e a minha mãe fomos à secção das sementes e trouxe de alguns legumes que queria e foi aí que surgiu na minha mente a ideia de criar a mini horta. Na sexta (22) tratei de tirar todas as ervas e lixo que o terreno tinha. No sábado, já com algumas dores em cima, preparei a terra, cavei-a toda e planifiquei mais ou menos onde queria cada especialidade. Hoje tratei de plantar e semear, regar e tratar da horta que acabou por levar alfaces, rabanetes, tomate cereja, cheróvias, brócolos, cenouras, coentros e quiabos. Vou ainda comprar duas lavandas para pôr em cada lado da horta, pois são bons pesticidas naturais. Assim que houver plantinhas de fora da terra, volto a tirar mais fotografias e a deixar aqui.

You can bury a lot of troubles by digging in the dirt.

Sem comentários: