Páginas

16.3.16

we're all damaged here.

Nem sei bem como começar este post. Fui pela primeira vez sozinha ao cinema. It was a big deal. Já perdi vários filmes por ter demasiado medo de enfrentar os olhares e comentários preconceituosos por uma rapariga de 22 anos ir sozinha ao cinema em pleno século XXI. Ainda que esses olhares e comentários só existam na minha cabeça... 
Este foi só mais um dos dramas que a ansiedade criou em mim. Achar que para realizar determinadas actividades ou ir a certos lugares são necessários pelo menos dois. Para muita gente isto pode parecer supérfluo ou até ridículo, mas ninguém faz ideia do quão nervosa eu estava quando saí da porta de casa hoje e caminhei até ao shopping. Uma vez lá, tentei percorrer uma loja de roupa até ganhar coragem. Cheguei à porta do cinema, faltavam 15 minutos para o filme começar. Voltei para trás e fui sentar-me num sofá a mandar sms's à minha melhor amiga inventando mil e uma desculpas, mais para mim que para ela, em como não ia seguir com o plano para a frente. 
Faltavam 5 minutos para o filme começar, levantei-me, entrei e fui ter com a senhora do balcão:"boa tarde, é um bilhete para o Convergente por favor". Agarrei na embalagem pequena das pipocas (que é demasiado grande para uma só pessoa) e lá segui eu para a sala número 6. Entrei na sala onde estavam dois casais... voltei a ouvir aquela voz interior irritante:"You don't belong here, You shouldn't be here alone!". Se há algo bom num cinema, é a falta de luz, acrescentando isso à minha pitesguice, lá consegui ignorar as restantes pessoas e ir até ao meu lugar. Uma fila só para mim. Acabaram por entrar mais duas pessoas sozinhas e lá consegui descontrair um pouco por eu não ser a única sem companhia ali. 
No fundo, isto tudo para dizer que apesar de o filme me ter desiludido um bocado em relação ao livro, it made me a stronger woman, ahah!

SPOILERS:
- Mudaram por completo o final do livro no filme... a protagonista não morreu como era suposto, nenhum bad guy morreu, a única que fez o sacrifício em prol de algo melhor foi a Tori e, de certeza, o único momento que abalou os corações das 6 pessoas que estavam naquela sala de cinema comigo;
- Que raio de cenário foi aquele?! Lá porque a humanidade anda em guerra e destrói tudo não significa que o planeta se transforme em Marte ao ponto de ficar tudo vermelho, cheio de crateras e chuva que mais parece sangue, put your shit together man!
- Estava tudo muito futurístico... os intrépidos passaram por tanto a aprender a lutar que nem o Jackie Chan para agora usarem drones?! E que raio de bolhas de plasma ou wtv eram aquelas em que eles esvoaçavam porque o ar era contaminado?! 
- Ok, o Tobias (Theo James) conseguiu ter um destaque maior no filme, podiam era tê-lo despido um bocadinho mais, se era para deixar toda a gente feliz com a maneira como alteraram o enredo então dessem um bocadinho daquilo que realmente as pessoas querem ver!

Sem comentários: