Páginas

31.12.16

document your life | december 2016

4.12.16

document your life | november 2016

3.12.16

currently reading.

"But whether or not you are here, you are here - because these words are for you, and they wouldn't exist if you weren't here in some way."
- Dash and Lily's Book of Dares.

13.11.16

it's funny.

how everything seems amazingly interesting to see/read/do when you need to work. sigh... 
aka
tenho mil e um planos de coisas que quero ver/ler/fazer assim que o dia 25 de novembro passar.
aka
ler montes de livros (tenho 8 em mente)
ver montes de animes (uns 3)
ver séries (4 vá...)
fazer prendas de natal
voltar a jogar minecraft
enviar postais pelo postcrossing
etc.
etc.
etc.
life, can you fast forward a little bit?

6.11.16

courage.

Este vai ser um longo e duro mês e eu preciso de começar a ser optimista em relação aos próximos tempos senão nada vai correr bem. Sem dúvida que o ponto mais alto vai ser a defesa do mestrado, estou absolutamente em pânico e, apesar de ainda ter cerca de 20 dias para me preparar, muita coisa se vai passar pelo meio a distrair-me, a preocupar-me, a cansar-me. Desde arrancar um siso, perder 2 quilos de forma saudável, ir a uma consulta de cirurgia plástica, devolver os equipamentos da NOS, ir a Aveiro encadernar os relatórios, fazer monitorização do peso, etc. eu estou completamente assustada e sem vontade de enfrentar tudo isto. Novembro, por norma, é um mês que eu até gosto muito, mas estou aterrorizada com o deste ano. O pior é que ainda nem começou e eu já estou com os pensamentos virados para o pessimismo, estar em casa não ajuda nada, há sempre gente, sempre barulho, sempre aquela sensação de demasiado conforto para me abstrair e concentrar-me em responsabilidades.
Preciso de me focar no importante, mesmo que não consiga concentrar-me no mês por inteiro, se me organizar semana a semana será tudo mais fácil. Ainda não ganhei coragem para começar a fazer o power point e treinar a apresentação e, tendo em conta que ter um discurso oral perante outros é o meu calcanhar de aquiles acumulado ao facto de ir arrancar um siso e ficar dias sem poder aproveitar para treinar, já devia estar a trabalhar nisso, mas a verdade é que ainda estou apavorada com a ideia de já ser este mês. Estive a arrumar o quarto de tarde, pelo menos o meu espaço está limpo e organizado, acho que isso é meio caminho andado para começar a semana com coragem para enfrentar tudo o que aí vem. 

30.10.16

but now days go by.

Fomos a Coimbra assistir ao concerto que o Coral e a Orquestra cá da terrinha deram no Mosteiro de Santa Clara. Já tive a oportunidade de os ver e ouvir em muitas outras circunstâncias, mas desta vez um sentimento de nostalgia apoderou-se intensamente de mim. Assim que começaram a tocar o genérico de Game of Thrones a minha pele arrepiou-se. Uma mistura de pensamentos fundiram-se na minha cabeça e a saudade atingiu-me. Larguei o conforto da minha cadeira, passei por um holofote que me confundiu a vista momentaneamente e permaneci de pé encostada à coluna do mosteiro que se encontrava mais próxima da orquestra. Filmei para a posterioridade, mas aquilo que observei foi momentâneo. Os olhares de cumplicidade entre alguns músicos da orquestra fizeram-me relembrar que também eu já estive do lado de lá, a sentir o nervo miudinho que antecede não só todo o espectáculo, mas também cada música do reportório. Recordei a sensação de felicidade e orgulho que é encontrar uma plateia a aplaudir e levantar-se perante uma música que enche a alma e que foi tocada por nós, pelos nossos instrumentos. Lembrei-me e tive saudades. Apesar de tudo, de ser como sou, de ter uma personalidade que prefere o isolamento, tive saudades de pertencer a algo, com alguém. Tive saudades de criar algo tão bom e contagiante aos outros. Tive.

16.10.16