Páginas

27.10.15

Christmas wishlist?

Quanto mais olho para ele mais me apaixono...

I never should have let you see inside.

22.10.15

tenho em mim todo o sono do mundo.

Ou como ontem à noite fui para o Porto dormir (mal) na casa dos manos, para hoje de manhã às 7:30h ir para a Póvoa de Varzim para o estágio, no qual estive até às 15h, saí, andei 1,5km a pé até à estação do metro para ir até Campanhã de forma a apanhar o comboio até Aveiro, tudo isto com apenas 2 sandes de fiambre e 3 pacotes de leite no estômago, todo o santo dia! Amanhã tenho aulas das 9h às 19h apenas com uma hora de almoço sendo que à noite mais 2h de carro até casa.
Dores: cabeça, costas, ombro esquerdo (precisando de muitos beijinhos).
Saudades: dele, apesar de...
Ahh já disse que ainda estou a recuperar da operação às amígdalas que faz amanhã 3 semanas, mas que ainda ando aqui aos tombos e a tremer por todos os lados?

Queixinhas much?

17.10.15

someday...

visitar o shinjuku gyoen national garden num dia chuvoso e comer chocolate acompanhado de cerveja.

A faint clap of thunder,
Clouded skies,
Perhaps rain will come.
If so, will you stay here with me?

14.10.15

last night I dreamt about you and fell out of bed twice.

É mera ilusão. O corpo contorce-se apenas com o cenário idílico criado por uma mente sedenta de vontade. A respiração torna-se irregular e acelerada tentando acompanhar os batimentos cardíacos mais estimulados que nunca. És tu. Sinto o teu sabor e sei que jamais sentirei algo tão viciante e diferente. O suor desliza com cautela e receio. Arrepios surgem do meu epicentro. És tu. Vou-me revirando e envolvendo neste escudo protector que roça timidamente a pele. Sorrisos abafados despoletam ao sentir o sangue efervescer. Os olhos permanecem calados ao escutar a história que o inconsciente adormecido conta. Uma história de sinestesias, emoções misturadas num fascinante momento. És tu. O tempo foge e leva com ele a sensação que eu quero tornar infinita. A aurora teima em me roubar o sonho, aquele de que não quero acordar. Pelo menos, enquanto se tratar de um mero sonho. És tu. Fica.


13.10.15

desapego.

tento ver para além do cenário que se esbate no nevoeiro. salpicos de chuva criam um mapa de um lugar inexistente na janela do carro. nem me questiono se percorro o trajecto certo, apenas me deixo levar. reservo este momento de pura introspecção mais para me perder que para me encontrar. um carro passa ao meu lado, questiono-me quem lá vai, qual a sua história, o que temos em comum. o tracejado do solo tem um efeito hipnótico em mim. a chuva persiste e sei que é melhor assim, torna-me criativa. não quero chegar ao destino, sinto-me aconchegada no banco de trás e sei que posso deixar-me levar. inunda-me o som do rádio baixinho, um ruído triste, uma melodia familiar. não preciso de mais ninguém, estou bem só. tento convencer-me do significado dessas palavras ainda que não façam sentido. sou romântica, carente, mimada. preciso de alguém, preciso dele. um ele que já foi miragem em diversos corpos, poucos. e o veículo vai tombando com timidez. o começo já fica distante, a realidade dispersa-se em inúmeros pensamentos que me assolam de uma só vez. fico confusa. respiro com cautela e tento recordar o passado. porque me vim embora? de que fujo? não quero esmorecer. volto a observar quem passa por mim. incógnitas por resolver. tal como eu...