Páginas

3.4.15

sem sentido.

ontem fui um neologismo, hoje sou uma antítese. residem em mim atitudes contraditórias derivadas de sentimentos paradoxais. sou um todo que nada quer. a minha mente contrai-se com o amontoado de vozes familiares, no entanto, não consegue suportar o vazio do silêncio absoluto. o passado insiste e o futuro intimida. detenho em mim uma personalidade de oposições que teimam em controlar algo que não sei ser...

Sem comentários: