Páginas

22.3.15

yamanai ame.

Ouvi dizer que és uma sombra cansada e começo a entender-te como uma. Vagueias pelo ar bucólico a teu belo prazer sem quereres que reparem em ti, és tu quem observa. As tuas peculiaridades podem parecer-te algo ausente e deslocado da realidade e, para mim, é essa mesma tua maneira de ser transcendente que me cativa, que me faz querer observar-te e conhecer os espaços mais recônditos da tua personalidade. A desmistificação de alguém como tu não ocorre de forma tão natural quanto um simples inspirar, as amarras que foste criando e o medo que te foi consumindo tornaram-te, apesar de tudo, inacessível a qualquer outra vida. A luta será complexa, vertiginosa até. A minha mente ficará exausta, o meu coração confuso, o meu quotidiano parado. Ainda assim, essa luta será, jamais, em vão...


(isto de escrever a meio do dia é complicado, mas com a música certa as palavras vêm ao sítio.)

Sem comentários: