Páginas

28.8.13

Sleep less, read more.

R.epeat.


I'm covering my ears like a kid / When your words mean nothing
I go la la la
I'm turning up the volume when you speak / 'Cause if my heart can't stop it / I find a way to block it
I go La la, la la la

Eu vou arranjar um beliche.



A Sasha ocupa a cama inteira! Ela está super gorda, já deve pesar mais de 5 quilos e todas as noites é isto... Ela já me roubou a manta azul e agora quer roubar a cama... Tenho uma gata que vive melhor que muitos humanos por aí!

27.8.13

A Rapariga que Roubava Livros

"A única coisa pior do que um rapaz que nos odeia
Um rapaz que nos ama."

24.8.13

Cidades de Papel, John Green (alguns spoilers, vá...)

Este foi o terceiro livro que li de John Green. O primeiro que li foi "A Culpa é das Estrelas" e foi o meu preferido, o segundo que li foi "À Procura de Alaska" e, ao contrário da maior parte das pessoas, não o preferi ao "Cidades de Papel", embora também não tenha desgostado. Achei as histórias destes dois últimos livros mais ou menos semelhantes, mas gostei mais das personagens e do contexto neste livro. Basicamente conta a história de um rapaz, Quentin (Q para os amigos), inseguro, reservado, etc e tal, que sempre teve uma paixão pela irreverente, bela, misteriosa e popular rapariga, Margo Roth Spiegelman. E foi neste tipo de situação que achei bastante semelhante com "À Procura de Alaska". A personagem masculina é sempre aquele rapaz aparentemente fraco, com o seu sentido de humor característico e a sua personalidade intelectual bastante parecida (a sério, até a relação com a família é do mesmo género que no outro livro!). A personagem feminina, sempre misteriosa, superior e quase impossível, mas que até parece ter uma queda pelo rapaz fraco por não ser como todos os outros rapazes (que não são fracos...). A única diferença é que "À Procura de Alaska" tem um fim mais trágico que "Cidades de Papel" que, sabe-se que tem um fim, mas depois de lermos até ficamos com aquela vontade de saber como terá sido o resto da vida deles os dois, se alguma vez se voltariam a encontrar, etc. Apesar de tudo, gosto bastante dos livros de John Green! Tem uma escrita cativante e as personagens são engraçadas e até realistas. A parte que mais gostei deste livro foi realmente as peripécias que Q. e Margo viveram naquela noite de partidas e depois a viagem de Q., Radar, Ben e Lacey em busca da cidade de papel onde Margo se encontrava (a sério, fiquei cheia de vontade de ter ido naquele carro com eles!). Felizmente não achei este livro tão triste como os outros dois que li, não chorei (coisa que é bastante surpreendente vinda de mim a interagir com os livros de John Green!), portanto recomendo a quem quiser ler algo leve e agradável e divertido.

Rating: 4/5

22.8.13

Outras cenas:

Antes de ir para França, no fim de semana que estive no Porto, aproveitámos para ir a Santa Maria da Feira à Feira Medieval. Nunca lá tinha ido, mas digo-vos: Adorei! Senti-me como se estivesse dentro da Guerra dos Tronos, o ambiente faz-nos sentir mesmo como se estivéssemos na época, as pessoas todas rigorosamente trajadas e caracterizadas, os cavalos, os camelos, o castelo, os jogos, foi tudo surpreendentemente excepcional! Mal dormi nessa noite porque já chegámos tarde a casa e tínhamos que estar no aeroporto às 5:45h da manhã e foi tudo super rápido, devo ter dormido cerca de duas horas. Depois vim de França e fomos todos para Coimbra mas tivemos que vir embora por causa do enorme incêndio que houve em Góis anteontem e como temos lá casa e terrenos ficámos alarmados. Ontem cá em O.H. como se calhar ouviram nas notícias também andou um incêndio onde andaram mais de 350 bombeiros e 4 meios aéreos, hoje ainda se ouvem helicópteros de vez em quando, mas já foi dado como dominado ainda que hoje de manhã se tenha reacendido, espero que não volte a ser tão alarmante como ontem. Entrei em pânico porque foi relativamente perto e estava a atingir proporções perigosas, duas casas arderam e os bombeiros perderam uma viatura... Enfim, hoje o meu tio da Suíça veio cá almoçar e amanhã vêm cá os meus tios da França e sábado vamos a Góis e domingo vamos ao Porto... Portanto se eu ficar mais 12 dias sem cá aparecer já sabem que isto anda tudo muito agitado mas eu não morri! Boas férias a quem ainda está de férias!

Das férias em França:


Por estes lados tem andado agitado, ainda nem sequer tenho os vídeos das férias, portanto tive que me desenrascar com algumas das fotos e fazer esta compilação das minhas preferidas. França foi uma surpresa, os franceses foram outra... Gostei bastante de conhecer França, mas detestei os franceses. São extremamente porcos, fazem as suas necessidades contra os monumentos e sabe-se lá mais onde, mandam lixo das janelas sem sequer ver se vão pessoas em baixo ou não, não sabem preservar o que têm, isto entre alguns episódios bastante insólitos e desagradáveis que passei. França é um país bonito (pelo menos as três cidades que visitei - Bordeaux, Toulouse e Carcassonne -, mas tenho a certeza que seria ainda mais apelativo se não estivesse cheia de lixo, grafitis, gente violenta e muito estranha... Achei engraçado o facto de nas três cidades se passear e de vez em quando encontrar um carrossel ou uma roda gigante assim, vinda do nada. Amei o Grande Teatro da Ópera (que tinha uma exposição bastante interessante e dinâmica da "Alice no País das Maravilhas") e o maior espelho de água em Bordéus, amei o passeio de barco em Toulouse e amei a cidade medieval em Carcassonne. Tivemos azar em apanhar um domingo (o dia em que lá chegámos) e um feriado (o dia antes de virmos embora). O estilo de vida em França é mais caro que em Portugal... uma garrafa de água pode custar na boa 4 euros. Andei pela primeira vez num TGV (fiquei desiludida, aquela cena nem aos 200km/h chegou...), dormi pela primeira vez num beliche (não dormi nada na primeira noite com medo que aquela cena caísse em cima da cabeça dos meus irmãos)... Apesar de tudo foi uma boa semana de férias e é sempre uma boa experiência conhecer novos países, principalmente para uma pessoa que adora viajar e uma estudante de línguas (ainda que não tenha praticado quase nada do meu francês porque eles percebiam que éramos estrangeiros e até se punham a falar connosco em espanhol...). Um dia ainda vou querer visitar Paris e, quem sabe, mais alguma cidade francesa.
Um conselho, se quiserem visitar, tentem ir antes de fazerem 26 anos, porque os bilhetes para a maior parte dos monumentos e atrações turísticas, são gratuitos para europeus com menos de 26 anos!

10.8.13

Vacances'13

Hoje, sábado dia 10, já me encontro no Porto para amanhã ir para o aeroporto ainda antes do sol nascer, apanhar o voo para as minhas férias deste ano: França!
Nunca lá fui e tenho andado mortinha por visitar este país. Tenho pena de não ir à capital, mas vou a três outras cidades, vou andar de avião, barco e TGV (pela primeira vez no TGV!), vou visitar imensa coisa, e ser surpreendida com outras experiências quaisquer, uma vez que os meus irmãos é que prepararam a viagem para nós os três e eu só sei de alguns pormenores. Vou tentar tirar o máximo de fotos e vídeos e depois quando chegar a casa, no dia 19, conto como tudo correu! Até lá...
Bonnes Vacances! {Post agendado}

7.8.13

Insurgente, Veronica Roth {Spoiler alert}

Não aguentei nem mais um dia depois de acabar o Divergente, tinha demasiadas dúvidas, demasiados sentimentos a divagar e a influenciar a minha cabeça e, felizmente, a escritora pegou mesmo onde tinha finalizado o Divergente e o início foi um lufada de ar fresco, saber que nada tinha acabado, muito pelo contrário a guerra estava só a começar e o livro está repleto de acção e controvérsias. Fiquei irritada, mesmo muito irritada com a Tris porque ela agiu que nem uma tontinha para aí durante dois terços do livro, mas por um lado percebo, não deve ser fácil perder tanta gente que se ama, aliás não é fácil. Mas mesmo assim... a Tris que no primeiro livro me fez identificar com ela de certa forma, de uma rapariga que toda a sua vida foi de uma maneira e de um momento para o outro tem que ser corajosa e lutar pela sua vida e pela dos outros, torna-se no segundo livro uma pessoa apática e estupidamente cega e irracional, dominada pelo medo, pelo cansaço, pela derrota. Felizmente a relação dela e do Four que esteve por um fio várias vezes em grande parte do tempo acabou bem (não, ainda não acabou!!). Houve algumas personagens que me surpreenderam ao contrário do que eu alguma vez iria pensar. O Peter e o Marcus foram realmente uma surpresa. A Evelyn, argh que besta!! E finalmente é revelado o que há do outro lado da vedaçao e, oh meu Deus que revelação!!! Já nem sei o que pensar de Caleb, mas ele tem-me desiludido e era uma das personagens com quem eu até simpatizava... oh well. Para mim das melhores sensações foi saber que a besta da Jeanine está morta, mas claro está... se uma vai abaixo logo surge outra talvez pior ainda e sim, falo da Evelyn.
Claramente o Insurgente é bastante mais complicada que o Divergente, temos que estar com atenção a todos os pormenores porque as personagens têm imensos segredos e às tantas mal se percebe quem é bom e quem é mau, quem tem a verdade e se essa verdade será algo realmente a favor de toda a comunidade ou não, é um enredo muito minucioso e é tudo muito imprevisível. 
Estou absolutamente expectante com o que acontecerá no terceiro livro e se roesse as unhas era certo que já nem dedos iria ter assim que saísse, tal vai ser a espera e a curiosidade!
Estes livros são tão bons que até à minha avó eu os recomendava, a sério!
E agora vou-me calar senão...
Rating: 5/5

6.8.13

A Sasha também gosta de encomendas:

Chegou finalmente a encomenda dos livros que tinha feito! Devo dizer que amei a capa do livro "A Rapariga que Roubava Livros" e estou ansiosa por ler os dois!! Também gostei bastante do brinde dos sacos impermeáveis para levar com livros para a praia e depois, ao soprar, se transforma numa almofada de praia. Fiquei triste com duas coisas: eles diziam que me mandavam dois marcadores para livros e não mandaram nenhum... E fiquei triste pelo "Cidades de Papel" não ser do mesmo tamanho que os outros dois livros que tenho do John Green... assim vão ter que ficar em estantes separadas! Apesar de tudo estou ansiosa por devorar estes dois, mas ainda tenho que acabar o Insurgente e, provavelmente, vou levar um outro livro (de bolso), que anda aqui pela estante desde o ano passado, para França, visto que é de um autor francês.

5.8.13

MV

I was there and it was... amazing!

4.8.13

Das dúvidas existenciais:

Se eu perdesse a memória e encontrasse este blog, o que será que eu pensaria de mim?

1.8.13

Ei-lo:

Este, é aquele que me vai acompanhar na primeira metade do meu último ano de licenciatura. *tears*