Páginas

30.7.13

Thanks Dad!

Produtos da sua encomenda

Nome do produto           Preço Unit Qtd Preço Final
       A Rapariga que Roubava Livros 22,21 €
15,54 €
(Campanha de Verão -30%)
1 15,54 €
       Cidades de Papel 15,90 €
12,72 €
(Campanha de Verão -20%)
1 12,72 €
       Oferta Marcador Verde - Coleção Metas 2013 Oferta Editorial Presença :
Oferta Marcador Verde -
Coleção Metas 2013
       Oferta Saco Fernando Pessoa + bolsa impermeável Oferta Editorial Presença :
Campanha de Verão - Brinde

29.7.13

dia não:

Não dormi nada, no máximo duas horas e assim que adormeci tive sonhos parvos como ter enfiado a Emma (a tartaruga) num recipiente cheio de coca-cola e ela começar a inchar como se fosse explodir a qualquer momento com os olhos super assustados... Acordei com dores abdominais com vontade de vomitar cada vez que me encolhia um milímetro que fosse. Só me apetece chorar. Porque não consigo parar de pensar se ela estará bem ou não. E pensamentos sobre ela fazem-me neste momento pensar neles e é tudo muito triste e apesar do sol brilhar eu só sinto arrepios e quero mesmo chorar mas não consigo porque basicamente não me é permitido e a vida é uma merda mas também não posso dizer isto porque ao contrário das pessoas que mais admiro na vida não posso dar-lhes a única coisa que não consigo aproveitar.

28.7.13

Divergente, Veronica Roth

Eu nunca tinha lido um livro deste género, trata-se de uma distopia sobre uma sociedade dividida em 5 facções, cada uma marcada por uma caraterística: Cândidos (a sinceridade), Abnegados (o altruísmo), Intrépidos (a coragem), Cordiais (a amizade) e Eruditos (a inteligência). Ao completarem 16 anos, todos os adolescentes devem optar por uma facção: ou mantém-se na facção de origem ou transferem-se para outra. Para ajudar nesta escolha é realizado um exame cujos resultados correspondem a uma facção. No meio de muitos existem os Divergentes, pessoas que não encaixam no perfil de cada facção existente e podem possuir traços de todas. E mais não digo senão tiro a magia ao livro.
Só quero acrescentar que o Amei (com "A" grande, como se diz) e claramente a personagem que mais gostei foi o Four!! Foi daquele tipo de leituras que me fez transbordar de felicidade a todos os níveis, a história é diferente (das que eu já li) e extremamente criativa. À medida que fui lendo, cada capítulo parecia melhor e mais emocionante que o anterior, adorei a escrita da autora! As personagens são incrivelmente entusiasmantes, mesmo as mais secundárias têm uma personalidade interessante e transformam a história de alguma maneira, vê-se que não estão ali meramente para "ajudar" as principais a construir a história. E depois o livro tem tudo, tem acção (muita mesmo!), suspense, romance (oh god... como eu amei o Four!!), tristeza, amizade... tem tudo! É um pack de emoções com as quais eu me consegui associar de todas as maneiras. Definitivamente o "Divergente" vai para a minha lista dos favoritos, senão mesmo o número 1 de todos, há muito tempo que não me sentia tão bem a ler um livro. Tem 350 páginas e, dadas as circunstâncias que se meteram entre mim e a leitura, li-o relativamente rápido porque eu não conseguia largá-lo a não ser que fosse muito urgente. E vou parar por aqui senão...

Rating: 5/5

23.7.13

À Procura de Alaska, John Green.

Eu nem sei por onde começar com a review deste livro... Eu adoro John Green! Este foi o segundo livro que li dele, o primeiro foi "A Culpa é das Estrelas". Definitivamente amei muito mais o primeiro que li do que este, mas este não ficou muito atrás e penso que para primeiro romance do autor não está nada mau. É complicado falar do enredo sem dar grandes spoilers, tem uma história diferente, fez-me rir, fez-me chorar... Claramente John Green é bom a transmitir e fazer os seus leitores conseguirem sentir algo e demonstrar essas emoções de uma forma tão natural! Apesar de haver algumas partes um pouco previsíveis e de ter achado as personagens um bocado exageradas na sua maneira de ser (demasiado tabaco e bebedeira, sexo e partidas) para a idade que tinham, gostei do livro e penso que não o li tão rápido por causa do Marés Vivas que surgiu pelo meio e mudou as minhas horas de sono, no entanto, foi um livro que me cativou e do qual gostei bastante! Recomendo para quem quer uma leitura algo ligeira, mas digo já que é um pouco triste e tenham lenços à mão.
  
Rating: 4/5

17.7.13

À procura de Alaska.

"- Credo, não vou ser uma daquelas pessoas que fica sentada a falar acerca do que vai fazer. Vou fazer e pronto. Imaginar o futuro é uma espécie de nostalgia.
- Hã? - perguntei.
- Passamos a vida inteira encurralados no labirinto, a pensar em como sairemos dele um dia e em como será espetacular, e a imaginar que o futuro nos mantém a andar, mas nunca de lá saímos. Limitamo-nos a usar o futuro para fugir ao presente."

Nunca me identifiquei tanto com uma passagem de um livro como com esta... A verdade é que sou muito assim, uso o futuro e até o passado para fugir ao presente, mesmo com coisas pequenas como ir ao dentista e na minha cabeça repete-se:"pensa que daqui uma hora ou duas já isto ficou para trás e já não te está a doer!". Mas no fundo é como se fosse uma cura para acabar com um mal talvez ainda mais grave da minha personalidade que é a ansiedade e o medo antecipado. Em vez de pensar:"ai não quero ir, vai doer imenso!" simplesmente penso que isto vai ser mais uma mera dor das muitas que ficaram para trás e que me demonstram que eu consigo sobreviver... Gostava de ser mais espontânea e apenas viver o momento seja ele qual for, sem pensar no que já aconteceu de semelhante ou do que virá a seguir!

16.7.13

Olá Porto!

Pronto, hoje é oficialmente o meu primeiro dia de férias e vim ter com os manos a Vila Nova de Gaia. Quinta começa o festival Marés Vivas e no domingo em princípio os meus pais vêm cá ter e vamos todos ao Sea Life. Hoje nos saldos em Aveiro comprei três livros e já comecei a ler um. Enquanto estou sozinha em casa vou lendo e jogando na PS dos manos para matar o tempo! O comboio vinha super cheio de gente, nunca tinha estado num comboio com tanta gente. Quando entrei estava praticamente vazio o que me deixou contente porque assim podia vir a filmar a minha viagem toda à vontade, mas não! Durante a viagem vinha um rapaz para aí também dos seus 20 anos a tocar viola sentado no chão. Foi agradável! Bem, boa semana a todos, eu vou passando por aqui na mesma fazendo alguns updates!

15.7.13

Despicable Me 2



Nota IMDb: 7.8

Nota ASemNome: 8.3
(E pronto se o primeiro me deixou completamente rendida este ainda mais! A sério, eu vou tentar não dar spoilers mas o filme é lindo, lindo, lindo! A Agnes continua a coisa mais adorável deste mundo, os minions a coisa mais divertida e nem tenho palavras. O filme é emocionante, é enternecedor, tem suspense, super super divertido. Tirando a parte em que eu e a P. éramos as únicas na sala que não estávamos a acompanhar os filhos, eu ri como já não ria há imeeeenso tempo, eu mal me restabelecia de um riso já o filme me dava mais um motivo para soltar a gargalhada! Anda por cima depois de ter feito exame e de a meio dele ter ouvido e visto o R. no corredor, mas pronto, já passou.) Recomendo plenamente, vão a correr para o cinema mais perto de vocês!!

14.7.13

A Metamorfose, Franz Kafka

Sim, eu sei que é um clássico e que a história é toda uma metáfora mas não gostei muito deste livro. Não detestei, não adorei, simplesmente acho que passava bem sem o ter lido. Não me arrependo porque é um livro pequeno e sempre o fiquei a conhecer. No entanto, não sei se teria colocado demasiadas expectativas ou esperava algo diferente, mas não fiquei grande fã. Haters gonna hate, mas é a minha opinião, não podemos gostar todos das mesmas coisas! Um livro que supostamente seria extraordinário acabou por me deixar aborrecida e irrita-me como a única personagem de quem gostei minimamente apenas morreu e tudo ficou na mesma... Mesmo a própria maneira de como estava escrita, não sei se será da tradução ou simplesmente desta edição, mas estava muito repetitiva, tinha muitos "mas" e parecia quase uma escrita à primária salpicada com uma palavra erudita de onde em onde. 
Apesar de tudo compreendo o conceito da metáfora e até achei interessante todo o conceito que originou a obra, mas acho que podia ter sido explorado de outra maneira qualquer.
Rating: 3/5

sasha.

(nas duas últimas eu tinha acabado de lhe dar banho e ela não achou muita piada)

11.7.13

O Prisioneiro do Céu, Carlos Ruiz Zafón

Este era mais um dos que tinham sido oferecidos pelo Natal e continuava ali, sentado na estante a cambalear as suas páginas à espera de ser lido. Nunca tinha lido nada do autor, apesar de já ter ouvido falar bem e o livro cativou-me ao ponto de o ter lido em 4 dias quando tenho um exame de recurso para fazer daqui a outros 4... Apesar de ser um livro ainda relativamente extenso, de 393 páginas, é bastante simples e a estratégia de capítulos pequenos resulta muito bem, principalmente quando tem aquele efeito de novela que parece que cada capítulo acaba melhor do que começa e dá logo vontade de ir para o seguinte! A história é interessante e as personagens diferentes entre si. Até agora este é o terceiro livro de uma trilogia e tenho pena de não ter lido os outros dois primeiro, apesar de se conseguir entender muito bem a história! Fiquei em êxtase até à última página e no fim ainda tentei procurar uma resposta, portanto fico à espera de um novo livro que, de certo, será tão bom ou melhor!

Rating: 4/5

9.7.13

Diz que...

Tenho saudades de fazer um puzzle.

(isto realmente enquanto uma pessoa tem que estudar para exames surgem mil e uma opções de se distrair e passar o tempo...)

Uma dose de scones e duas de alegria

Agora só resta esperar que arrefeçam para comer com um bocadinho de doce de morangos e mirtilos e, enquanto o tempo não passa, ouve-se the british are coming!

Marés Vivas'13

Já é o 4º Festival Marés Vivas consecutivo a que vou e fico sempre bastante ansiosa por ir! O bilhete como já vai sendo costume é prenda de anos dos meus irmãos para mim. Infelizmente dia 15 ainda tenho um exame, o último do 2º ano da licenciatura e espero que corra bem. Depois do Marés vivas, em Agosto, vou para França também com os manos e quero aproveitar ao máximo, pois é um país que ainda não visitei! Por enquanto, só me resta estudar Cultura Inglesa ao som do mix Marés Vivas que o T. criou no Spotify e contentar-me com isso até poder assistir ao vivo já sem o stress do exame!

7.7.13

O estudo

 Está impossível com este calor!!! Ainda por cima quando se estuda numa varanda com vista para a piscina e o irmão anda lá! Malditos exames...

5.7.13

Beloved, Toni Morrison.

Eu demorei quase dois meses para ler este livro!! A minha leitura coincidiu com o final de um semestre bem atribulado (que ainda não acabou) e, para além disso, é um livro extremamente intenso! Quando o comprei não fazia ideia sobre o que era, comprei porque achei curioso e engraçado ler o Nobel da Literatura do meu ano de nascimento (1993) mas a verdade é que quando o comecei a ler pela primeira vez, não me cativou e deixei-o de parte. Neste semestre tive uma cadeira de Cultura Inglesa e falámos sobre escravatura entre outros temas e o professor (para além de um outro de Escrita Criativa) recomendou-o várias vezes. Ora, eu como já o cá tinha, achei por bem dar-lhe uma segunda oportunidade!
Trata-se de um romance que mistura uma realidade bastante infeliz da História Mundial, a escravatura, com um lado alegórico e uma fantasia um tanto ou quanto estranha... 
Foi provavelmente o livro mais diferente de todos os outros que já li e, apesar de ser um pouco confuso, com a história aos pedaços e personagens vivas e outras mortas e outras sabe-se lá como, gostei bastante de o ler e não me arrependo. Houve momentos em que só me apetecia desistir, houve momentos em que me falavam e eu não conseguia parar de ler página após página... Recomendo, no entanto, se alguém quiser ler o livro e não desistir a meio, aconselho que se tente informar um pouco sobre o tema e tenha consciência que não é um livro para passar o tempo, para distrair a cabeça!
Rating: 4/5

Beloved

- Sethe - disse -, tu e eu, temos mais ontens que qualquer pessoa. Precisamos de alguns amanhãs.
Inclina-se para a frente e pega-lhe na mão. Com a outra, toca-lhe no rosto.
- Tu és a tua melhor coisa, Sethe. És tu. - Os dedos dele seguram os dedos dela.
- Eu? Eu?
Toni Morrison.

4.7.13

Diz que...

A pequenina Leonor, a minha vizinha de 2 aninhos, veio oferecer-me um trevo (já só com uma pétala) que arrancou de um vaso que a minha mãe tem no jardim. Não é tão do amor? É mesmo adorável a miúda!!

3.7.13

1º mergulho do ano.

Já houve primeiro dia de praia e hoje foi o primeiro mergulho na piscina cá de casa. 34º graus à sombra. Cansada de estudar. Sozinha em casa. O resultado foi este:

2.7.13

Diz que...

Life isn't about finding yourself. Life is about creating yourself.
George Bernard Shaw

1.7.13